Header Ads

header ad

Caia na folia, mas cuidado com a voz

Acompanhar o bloco na rua, vibrar com o desfile da escola do coração no Sambódromo ou se divertir com os bailes do salão. É praticamente impossível experimentar uma dessas emoções sem liberar a voz, cantando bem alto. Mas é aí que mora o perigo. De acordo com o otorrinolaringologista do Hospital CEMA, Cícero Matsuyama, o uso excessivo do aparelho vocal de forma inadequada, seja gritando, cantando ou falando muito, pode ser muito prejudicial para a voz. 

Tanto do ponto de vista de intensidade vocal quanto no uso por períodos prolongados, os excessos devem ser monitorados por profissionais especializados. “Temos como exemplo um maratonista: uma pessoa comum não habituada a trajetos longos não consegue correr 42 km de uma hora para outra. Essa pessoa necessita de um médico especialista em medicina desportiva e de um fisioterapeuta. Assim também funciona com a voz”, compara o especialista. Todo profissional da voz necessita de um acompanhamento de um otorrinolaringologista e, eventualmente, também de um fonoaudiólogo para transtornos funcionais. 

O médico esclarece que as principais alterações que ocorrem na voz são, principalmente, da qualidade do som emitido pelas cordas vocais, que podem variar desde uma simples rouquidão até a afonia, que é a ausência completa da voz. As causas podem estar relacionadas a doenças inflamatórias, infecciosas, tensionais (emocionais) ou neuromotoras (degenerações neurais, acidente vascular cerebral). 

Entre outras causas que influenciam na voz estão o tabagismo, a alimentação, a ingestão de líquidos e a poluição. Além de causar o aumento da frequência do surgimento de lesões tumorais, o fumo causa lesões inflamatórias graves que deixam a voz rude e áspera e, mesmo com a parada do hábito, pode permanecer por um período prolongado. Pessoas que já possuem predisposição para inflamações devem evitar alimentos e líquidos em temperaturas muito baixas, pois a ingestão de gelado pode gerar um processo inflamatório no aparelho vocal, causando rouquidão e dor à deglutição.
O tempo seco e os agentes presentes na poluição das grandes cidades podem causar inflamações e, como consequência, rouquidão, dor de garganta e tosse seca. No inverno, o fato das pessoas ficarem em ambientes mais fechados e sem ventilação adequada e utilizarem roupas que facilita a disseminação das doenças sazonais, que quando afetam o sistema respiratório, podem ocasionar problemas relacionados à voz. 

Assim, a recomendação é aproveitar ao máximo os dias de folia, mas tendo sempre o cuidado de ingerir bastante água (para hidratar o corpo e a garganta) e expor com cuidado a voz.

1. Evitar o cigarro
Parou de fumar com medo de todas as coisas ruins que o cigarro traz? Nem pense em voltar no carnaval. Fumar deixa a voz mais grave e áspera, você não vai ter fôlego para cair na folia e ainda corre o risco de desafinar na melodia.

2. Má alimentação
A previsão é de muito calor, mas cuidado com a cervejinha gelada demais e não abuse do sorvete. Bebidas e comidinhas muito frias pois podem provocar um novo processo inflamatório, especialmente para as pessoas que já tem predisposição.

Mas como ficar sem um cervejinha no carnaval? Não se preocupe é só ir devagar, aproveitando tudo mas com moderação e em pequenos goles. Assim a boca pode “aquecer” um pouco os alimentos e a cerveja não vai agredir tanto a sua garganta.

3. Evitar o ar seco e a poluição
Você pode achar que a chuva acaba com a alegria dos foliões, mas ela é importante para devolver a umidade ao ar e dissipar a poluição nas grandes cidades. Ar seco e poluição podem provocar tosse seca, rouquidão e até dor de garganta. A saída já que a previsão é de muito sol e calor no Carnaval 2017 é abusar da água para hidratar bem o corpo e as cordas vocais.

4. Descobrir o alcance da sua voz
Dá para cantar todas as marchinhas e o hino da sua escola, mas é preciso saber o alcance da sua voz. Gritar pode machucar as suas cordas vocais e te deixar sem voz para o resto da folia. Não force a sua voz e encontre períodos de descanso entre uma folia e outra.

Tecnologia do Blogger.